Diálogo com PMDB não muda após convenção, diz Tarso

O ministro de Relações Institucionais, Tarso Genro, disse nesta sexta-feira que a decisão a ser adotada pelo PMDB amanhã não irá interferir na natureza de sua conversa com o ex-presidente Itamar Franco, marcada para segunda-feira, mas qualquer que seja a posição do partido não diminuirá o interesse do governo em uma relação de "estabilidade política". O PMDB realiza convenção extraordinária neste sábado, que discute a manutenção da candidatura do partido à Presidência da República."Nós partimos do pressuposto de que o PMDB tem o direito de ter candidato e, seja qual for sua decisão, não nos tira o ânimo de um relacionamento com estabilidade política com o PMDB, com a instituição, com a direção do partido", analisou o ministro. Conforme ele, o objetivo é compor uma relação "em que os partidos compartilhem responsabilidade de governo de maneira transparente".Na hipótese de o partido definir a candidatura própria, Tarso disse que uma aproximação será tentada para o segundo turno. Perguntado se já discutiria uma composição de chapa com Itamar, caso o partido opte no sábado por não ter candidato, o ministro disse que esta discussão cabe às direções partidárias.Com Itamar, o ministro disse que poderá trabalhar, na segunda-feira, uma "tentativa maior de unificar institucionalmente as bancadas do PMDB no Congresso para votações de interesse do governo e do próprio PMDB". O ministro ressaltou que o cenário é distinto no Rio Grande do Sul, onde a "contradição principal" ocorre entre os blocos liderados pelo PMDB e pelo PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.