Diálogo

A discussão no tribunalJoaquim Barbosa - Eu acho que o segundo caso prova muito bem a justeza da sua tese. Mas a sua tese deveria ter sido exposta em pratos limpos. Nós deveríamos estar discutindo...Gilmar Mendes - Ela foi exposta em pratos limpos. Eu não sonego informação. Vossa Excelência me respeite. Foi apontada em pratos limpos.Barbosa - Não se discutiu a lei...Mendes - Se discutiu claramente.Barbosa - Não se discutiu.Mendes - Se discutiu claramente e eu trouxe razão. Talvez Vossa Excelência esteja faltando às sessões.Barbosa - Eu não estou...Mendes - Tanto é que Vossa Excelência não tinha votado. Vossa Excelência faltou à sessão. Barbosa - Eu estava de licença, ministro.(...)Mendes - Vossa Excelência não tem condições de dar lição a ninguém.Barbosa - E nem Vossa Excelência. Vossa Excelência me respeite, Vossa Excelência não tem condição alguma. Vossa Excelência está destruindo a Justiça deste país e vem agora dar lição de moral em mim? Saia à rua, ministro Gilmar. Saia à rua, faz o que eu faço.Mendes - Eu estou na rua, ministro Joaquim.Barbosa - Vossa Excelência não está na rua, não, Vossa Excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro.Carlos Ayres Britto - Ministro Joaquim, vamos ponderar.Barbosa - Vossa Excelência, quando se dirige a mim, não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite.Marco Aurélio Mello - Eu creio que a discussão está descambando para um campo que não se coaduna com a liturgia do Supremo.Barbosa - Também acho. Falei. Fiz uma intervenção normal, regular. Reação brutal, como sempre, veio de Vossa Excelência.Mendes - Não. Vossa Excelência disse que eu faltei aos fatos e não é verdade. Vossa Excelência sabe bem que não se faz aqui nenhum relatório distorcido.Barbosa - Não disse. O áudio está aí. Eu simplesmente chamei a atenção da Corte para as consequências da decisão e Vossa Excelência veio com a sua tradicional gentileza e lhaneza.Mendes - É Vossa Excelência que dá lição de lhaneza ao tribunal. Está encerrada a sessão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.