Dia de retribuir ao padroeiro das causas urgentes

Com tanta violência, desemprego e problemas financeiros, anda sobrando trabalho a Santo Expedito, o padroeiro das causas urgentes e de última hora. E, a julgar pela quantidade de santinhos, faixas e até outdoors espalhados pela cidade - e por depoimentos emocionantes dos devotos -, também não falta popularidade. Parte dela pode ser conferida neste sábado em sua tradicional festa, comemorada sempre em 19 de abril, o dia em que Santo Expedito foi decapitado pelos romanos. Como a data este ano cai no Sábado de Aleluia, um dia de silêncio e luto pela morte de Cristo, a programação será especial, com apenas uma missa, às 21h10, e muitas orações, bênçãos aos romeiros, pregações das palavras de Cristo e vigília pascal para celebrar a ressurreição. Para o pároco da Capela das Graças de Santo Expedito e do Sagrado Coração de Jesus, Luiz César Bombonato, será uma oportunidade perfeita para que os fiéis participem mais ativamente da vida da igreja, não só para fazer os tradicionais pedidos e alcançar graças. Por causa do feriado prolongado, espera-se que uma quantidade grande de devotos apareça na Capela, inaugurada há 2 anos no Jaçanã, zona norte da cidade. A expectativa dos organizadores é ultrapassar os cerca de 300 mil visitantes que estiveram no local no ano passado, rezando, benzendo-se com a água-benta que jorra da fonte aos pés da imagem, acendendo velas, pagando promessas ou contando sobre graças alcançadas. Testemunhos - Alguns desses testemunhos constam dos cadastros do Apostolado Religioso Exército de Santo Expedito, associação responsável pela organização da festa, criada em 2001 e com 300 mil associados. São histórias como a do empresário paulistano que construiu a igreja onde se realiza a festa, a do comerciante carioca que inventou um sobrenome para a filha para homenagear o santo e a da aposentada que se tornou devota para que o filho conseguisse pagar a Kombi. Numa sexta-feira de 1997, caminhando desesperado por causa do monte de dívidas, o empresário Renato Tadeu Geraldes sentiu uma velhinha lhe pegando pelo braço. Depois de fazer algumas perguntas, ela lhe entregou uma oração de Santo Expedito, orientou para que rezasse ao santo das causas urgentes e indicou o endereço de uma igreja. "Como há muito tempo andava afastado da igreja e não sabia como me dirigir ao santo, sentei no primeiro banco, olhei para a imagem e comecei a ler a oração", conta. "Mas vieram as lágrimas e tomei coragem. Disse: o senhor é um santo e preciso que me ajude." A partir daí, Geraldes contou que já tinha perdido carro, casa e até comida estava faltando desde que sua gráfica fora a falência. Como respostam afirma ter recebido um "show de graças". "No momento em que deixei a igreja já senti uma paz de espírito que não sentia há muito tempo. No dia seguinte, um sábado, apareceu na minha casa uma irmã com uma compra de supermercado que dava para um mês. No domingo, veio outra com roupas e, na segunda, me ligaram oferecendo emprego numa gráfica." Mais surpresas quando pagou a promessa de imprimir dez mil santinhos. "Não tinha dinheiro e pedi para a pessoa que tinha me empregado fazer os milheiros. No domingo, fui na missa distribuir e as pessoas gostaram da oração com a imagem colorida do santo. Logo, começaram a ligar para a gráfica para fazer pedidos." Com o tempo, Geraldes passou a atender os muitos pedidos e acabou remontando a gráfica. Também conseguir se livrar das dívidas e, com ajuda de outros devotos de Santo Expedito, ergueu a Capela das Graças de Santo Expedito e do Sagrado Coração de Jesus, que foi inaugurada pelo cardeal arcebispo de São Paulo Dom Claudio Hummes, com uma missa em 2001. Crise - Um santinho recebido na rua por uma desconhecida também foi a ponte entre o comerciante José Carlos Carneiro Magalhães, de 48 anos, e o santo das causas urgentes. Há cinco anos, desempregado, em dificuldades financeiras e com problemas no casamento, José ainda foi surpreendido pela gravidez não planejada e de risco da esposa, que sofria de pressão alta. Desamparado diante das adversidades, procurou conforto em Santo Expedito e diz que foi tão bem atendido que está inaugurando hoje em seu sítio na região serrana do Rio uma capela em homenagem ao milagreiro. "Santo Expedito é meu padrinho. Pedi um pacote completo e ele me atendeu", conta. A principal graça, ele lembra, foi o nascimento da filha com saúde perfeita. Como prova da gratidão, Magalhães deu a ela o nome de Letícia Apex (ap em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, e ex de Expedito). Também está na lista de bens creditados ao santo a recuperação de um enfarto. Maravilhas - A costureira aposentada Maria de Lourdes Fontes, de 63 anos, é outra devota de Santo Expedito. Há 4 anos, atraída pela fama do santo, entregou-se fervorosamente às orações. Sua maior preocupação era com o filho que, depois de passar anos desempregado, tinha arrumado uma ocupação, mas precisava mantê-la para poder pagar uma Kombi que tinha comprado. Segundo ela, a resposta não tardou e, além de manter-se no trabalho, seu filho conseguiu pagar tudo o que devia. "Santo Expedito é maravilhoso e nunca falha", garante. A Capela das Graças de Santo Expedito e do Sagrado Coração de Jesus fica na Rua Murilo Furtado, 686, Parque Vitória, Jaçanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.