DHPP ouve 80ª testemunha do caso Celso Daniel

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação sobre o seqüestro e a morte do ex-prefeito de Santo André, no Grande ABC (SP), Celso Daniel (PT), ouviu nesta quinta-feira a 80ª testemunha no inquérito sobre o crime. Apesar do volume de trabalhos, a apuração ainda não produziu muitos frutos.A única pista dos supostos assassinos - uma quadrilha de seqüestradores da Favela Pantanal, na zona sul da capital paulista - foi levantada pelo Departamento de Investigação Sobre o Crime Organizado (Deic). Os suspeitos tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça.O DHPP ouviu nesta quinta um funcionário da prefeitura de Santo André e o motorista que levou a namorada de Daniel, Ivone Santana, e o secretário de Serviços Municipais da prefeitura, Klinger Luiz de Oliveira Souza, ao apartamento do prefeito, na noite do crime.O advogado Roberto Podval, contratado pelo empresário Sérgio Gomes da Silva, o "Sombra" - que estava com o prefeito no momento do seqüestro - para acompanhar a investigação, pedirá nesta sexta-feira ao DHPP que informe se solicitou a instalação de escuta nos telefones de "Sombra" e Souza.Trechos de conversas, confirmadas por "Sombra", foram publicadas pela imprensa. "Queremos que seja instaurado inquérito para que se apure quem fez o grampo e quem o divulgou", disse. Podval vai requerer ainda a decretação de sigilo no inquérito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.