DF homenageou acusado de desvio na PM

Ex-comandante é réu por peculato por suposto envolvimento em esquema de notas frias

Vannildo Mendes, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

22 de maio de 2009 | 00h00

Exonerado em meio a um escândalo de desvio de R$ 919,6 mil, que o tornou réu por peculato, o ex-comandante da Polícia Militar de Brasília Antônio Cerqueira mereceu do governo do Distrito Federal honras militares e um elogio formal e solene "pelo trabalho realizado à frente da PM". A homenagem ao coronel, a portas fechadas, foi feita na sexta-feira passada pelo secretário de Segurança Pública, Valmir Lemos, delegado da Polícia Federal. Na terça-feira, a Justiça acolheu a denúncia do Ministério Público contra Cerqueira e seus subordinados.A homenagem foi estendida a toda a corporação, saudada na quarta-feira passada com um anúncio em cores, em um quarto de página nobre do jornal Correio Braziliense, orçado em R$ 17 mil. O anúncio mostra a PM nas ruas, num momento em que os índices de criminalidade crescem na capital federal e o governo é criticado exatamente pela falta de policiamento.No processo, Cerqueira é acusado de participar de um esquema de desvio de dinheiro por meio de notas frias de serviços mecânicos de manutenção nos veículos da Polícia Militar. A fraude foi considerada grotesca pelo Ministério Público porque a frota é seminova e muitas notas superfaturadas tinham como data de execução dos reparos mecânicos dias em que os carros estavam em serviço, nas ruas da cidade. Os supostos reparos eram realizados nas oficinas da Nara Veículos, revendedora da Mitsubishi em Brasília. A dupla homenagem - ao comandante exonerado e à corporação - contrasta com o clima de insegurança nas ruas de Brasília, que já detém o recorde proporcional em sequestros relâmpagos no País e vive o recrudescimento da criminalidade nos últimos meses, com uma onda de assaltos a mão armada, arrombamentos de residências, golpes no comércio e roubo de carros. Em 2007, houve 46 sequestros relâmpagos; no ano passado o número subiu para 60 e neste ano já ocorreram 28.Pesquisa da Universidade de Brasília mostra que a violência na capital hoje se equipara à de metrópoles como Belo Horizonte, Recife e Fortaleza. A taxa de homicídios, que era de 12,3 por grupo de 100 mil habitantes, cresceu 187% nas últimas duas décadas e chegou a 35,4 por 100 mil habitantes. A PM de Brasília é a mais bem paga do País, com salário inicial de R$ 4,9 mil e uma das mais poupadas, com um turno de trabalho por três de descanso. Cerqueira não quis se manifestar sobre o assunto. O governador José Roberto Arruda disse que fez o que tinha de fazer, ou seja, exonerar o comando da PM. O secretário de Segurança, Valmir Lemos, sustenta a tese de que "não há crise, mas situações a serem contornadas". NÚMEROSR$ 919,6 mil foi o montante do desvio de dinheiro por meio de notas frias de serviços mecânicos de manutenção nos veículos da PM do Distrito FederalR$ 4,9 mil é o salário inicial na Polícia Militar do DF, a mais bem paga do País187% é o índicede crescimento da criminalidade no DF em duas décadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.