'Deveria ter tido a tranquilidade de ouvir calado', diz Paes sobre briga com músico

Prefeito do Rio acertou soco em cliente na calçada de um restaurante da zona sul; ele afirma ter sido xingado

Agência Estado

27 de maio de 2013 | 14h01

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, falou na manhã desta segunda-feira, 27, sobre a confusão em que se envolveu num restaurante no Horto, zona sul do Rio, na madrugada de sábado para domingo, quando deu um soco no rosto do músico e escritor Bernardo Botkay. "Reagi ali como o ser humano, o Eduardo, reagiria numa situação inusitada como essa", disse o prefeito em entrevista à BandNews FM.

"Eu estava num gesto raro da minha vida, infelizmente mais raro do que eu deveria fazer, de convivência com a minha mulher e dois casais de amigos. Estou jantando tranquilamente sentado numa mesa com esses amigos, conversando, quando sou abordado por um casal, pareciam completamente alcoolizados e, enfim, me xingando de tudo quanto era nome". Paes disse que as ofensas duraram cerca de dez minutos. "Não dá pra repetir nem do que que eu era chamado. Eu tive uma reação que eu diria que seria natural se eu não fosse o prefeito da cidade. Acho que qualquer um de nós teria, de levantar e empurrar o sujeito."

Segundo o prefeito, os seguranças só chegaram depois da confusão. "Não tinha nenhum segurança. Durante um grande período de tempo eu ouvi calado, e acho que tive uma reação que não devia ter tido, porque eu sou prefeito da cidade. Deveria ter tido a tranquilidade de ouvir calado os desaforos que eu ouvi." Durante a briga, a namorada do artista caiu no meio da confusão e machucou os joelhos. O casal registrou ocorrência na delegacia da Gávea, na zona sul do Rio. Botkay admitiu posteriormente ter bebido.

A reportagem pediu para ouvir o prefeito, mas sua assessoria informou que ele não iria conceder entrevistas. Questionada sobre a entrevista concedida para a emissora de rádio, a assessoria informou que já estava marcada havia mais de uma semana.

Na BandNews FM, Paes pediu desculpas à população, e disse que não tinha nada a dizer para o músico. "Vê-se pelos posts que ele não deve ser uma pessoa das mais equilibradas".

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Eduardo PaesbrigaBernardo Botkay

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.