''Devemos fazer melhores serviços gastando menos''

Bem ao estilo conciliador, o senador José Sarney (PMDB-AP) assumiu ontem o comando do Congresso garantindo que todas as decisões serão "colegiadas". "O presidente não pode ter posição autoritária, de impor pensamentos ou decisões", afirmou Sarney em sua primeira entrevista.Qual sua primeira medida administrativa na presidência do Senado? Vou reunir a Mesa na quinta-feira e determinar um corte linear de 10% de todas as despesas do Senado, sem prejuízo de poder avançar ainda mais nos cortes. Ao mesmo tempo, vamos iniciar uma reavaliação de toda a área administrativa para que se possa ampliar essa economia. Devemos fazer melhores serviços gastando menos. Que reformas o senhor julga fundamentais e possíveis de serem votadas durante sua gestão? Vou lutar de toda maneira para que o Congresso vote a reforma política, a reforma tributária e, por outro lado, a reforma das medidas provisórias, para que, de uma vez por todas, se retire esse empecilho da frente dos nossos problemas. Acredito que essas reformas nós vamos fazer.O fato de o senhor ter sido eleito contra um candidato do partido do presidente Lula deixa sequela?O PT estava (na disputa) como partido e tinha de lutar por seu candidato. Eu mesmo tive várias oportunidades de dizer que não era candidato. E sabe Deus que eu era extremamente sincero, porque não queria acrescentar mais problemas, mais trabalho à minha vida. Mas, infelizmente, minha paixão pela vida pública é muito maior do que a paixão pelo bem-estar pessoal. Por isso aceitei esse desafio.O que fará para retomar as boas relações com o PT. Vai procurar Tião Viana? Eleição é uma rotina na democracia. Isto não cria nenhuma fissura entre colegas. Somos as mesmas pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.