Destino político de ACM será decidido amanhã

O Senado vai dividido nesta terça-feira para a sessão do Conselho de Ética em que será votado relatório recomendando a cassação de mandato do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) por suposto envolvimento em escuta telefônica clandestina. Hoje, senadores que integram o conselho apostavam que o placar da votação, qualquer que seja a decisão, será apertado por causa da indefinição do quadro político no Senado. O PFL tentará ainda emplacar a absolvição de ACM.Diante da situação, nem mesmo o PFL, que trabalha para livrar ACM da perda de mandato, arrisca falar em número de votos. Por causa dessa indefinição, o partido decidiu mudar de estratégia. Antes, a idéia era a apresentação de um voto em separado propondo a perda temporária de mandato. Agora, a cúpula pefelista escolheu um outro caminho. Um senador pefelista, provavelmente Paulo Octávio (DF), encaminhará voto rebatendo os argumentos do relatório de autoria do senador Geraldo Mesquita (PSB-AC) e sugerindo a absolvição de ACM.Veja o índice de notícias sobre o grampo na Bahia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.