Desmatamento da Amazônia deve cair 30%, diz Marina a Lula

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva anunciou hoje, no programa semanal "Café com o Presidente", retransmitido pela rede Radiobrás, que para este ano a previsão é de que haja uma queda de 30% no desmatamento na Amazônia, segundo previsões do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o equivalente a uma área de 9,6 mil quilômetros quadrados. A ministra foi a convidada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A taxa prevista é a menor desde 1988, quando foi criado o sistema de monitoramento do desmatamento da Amazônia por satélite.A ministra também confirmou que entre agosto de 2005 e julho de 2006, a redução no desmatamento foi de 25%. O presidente Lula disse que este dado significa que se "deixou de emitir 410 milhões de toneladas de gás carbônico, evitou a destruição de 600 milhões de árvores, evitou a destruição de mais de 20 mil aves e de mais de 750 mil primatas". A ministra fez um resumo do que vem ocorrendo com o desmatamento na Amazônia nos últimos anos, e explicou que ele estava crescendo assustadoramente de 2001 para 2002, saindo de 18 mil quilômetros quadrados para mais de 20 mil quilômetros quadrados. Marina salientou também que "o governo fez uma verdadeira força-tarefa com 13 ministérios e criou um plano de prevenção e controle do desmatamento. "Tivemos cerca de 400 operações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), 20 grandes operações integradas da Polícia Federal, juntamente com o Exército, e a apreensão de cerca de 1 milhão de metros cúbicos de madeira".Marina Silva explicou que também houve o desmantelamento de 1.500 empresas criminosas que atuavam na Amazônia. "O Ministério do Desenvolvimento Agrário, através do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), inibiu 66 mil propriedades de grilagem. Isso faz com que, durante três anos consecutivos, e com a perspectiva de queda também em 2007, se dêem esses resultados, fruto de uma política corajosa e estruturante assumida pelo governo, em parceria com os governos estaduais, com a sociedade civil".O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao final do programa agradeceu à ministra. "Dou os parabéns a ela pelo sucesso, pelo êxito do programa, e pedindo a Deus que a gente consiga no ano de 2007 colher mais frutos, ou seja, diminuir mais o desmatamento e, quem sabe, em 2008 mais ainda e, quem sabe, a gente possa chegar no final do nosso governo com um desmatamento sem causar impacto ao meio ambiente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.