Deslocamentos no ano chegaram a 162

Recepções a delegações estrangeiras contribuíram para elevar despesas

, O Estadao de S.Paulo

24 de janeiro de 2009 | 00h00

Questionada pelo Estado sobre os gastos da Secretaria de Administração da Presidência, a Casa Civil - à qual está subordinada a repartição - reconheceu o aumento das despesas entre 2007 e 2008. Segundo a assessoria de imprensa, a causa principal do crescimento da conta "suprimento de fundos" foi o maior número de viagens oficiais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no País, em 2008.Outro motivo, informou a assessoria, foi o aumento dos encontros do presidente e sua equipe com delegações estrangeiras, o que implica reforço do esquema de segurança, com maior número de pessoas que trabalham nas solenidades e no deslocamento das autoridades.Em nota, a Casa Civil informou que o número de viagens nacionais do presidente aumentou de 142 em 2007 para 162 em 2008. Esse total leva em conta cada deslocamento entre uma cidade e outra que Lula visitou nas viagens oficiais, pois cada trecho implica gastos com transporte, alimentação e acomodação (em alguns casos) do presidente e da comitiva.No ano de eleições municipais, Lula intensificou as visitas a capitais e ao interior e prestigiou candidatos governistas de norte a sul do País.Reportagem do Estado mostrou que Lula passou 103 dias em viagens nacionais, no ano passado. Revelou também o aumento das viagens internacionais do presidente. Nos dois primeiros anos do primeiro mandato, 2003 e 2004, ele fez 30 viagens. Em 2007 e 2008, já no segundo mandato, Lula fez 39 viagens. Somando-se as viagens nacionais e internacionais, foram 180 dias fora de Brasília em 2008, ou quase a metade do ano inteiro (49%).A assessoria da Casa Civil confirmou os valores da conta "suprimento de fundos" referente aos gastos da Presidência em 2008, registrados no Siafi, e informou que os servidores responsáveis pelos maiores gastos são todos ordenadores de despesa, ou seja, funcionários designados por fazer os pagamentos com os cartões corporativos do governo. Os valores gastos e os nomes dos servidores foram enviados pelo Estado à assessoria. "Os valores apresentados pela reportagem estão de acordo com os registrados no Siafi", diz a nota da Casa Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.