WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Desfile no Rio é marcado por pequenos protestos e aplausos a Bolsonaro

Manifestantes que acompanharam o desfile pediram desde a intervenção militar até a volta da monarquia

Constança Rezende, O Estado de S. Paulo

07 Setembro 2017 | 15h39


Rio - O Desfile do 7 de setembro no Rio foi marcado por pequenas manifestações e a presença do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e do prefeito Marcelo Crivella (PRB), na tribuna e honra. Bolsonaro, que participa todos os anos do desfile, recebeu aplausos ao ser anunciado, já para Crivella foram ouvidas pequenas vaias.

Entre os militares que estavam na tribuna, Bolsonaro, que já manifestou publicamente sua intenção de concorrer à presidência da República no ano que vem, recebeu mais atenção que Crivella. 

Boa parte do público que acompanhou o desfile vestia roupas verde e amarelo. Alguns grupos estavam com cartazes que pediam a intervenção militar no País, outros que pediam a volta da monarquia.

Duas faixas estendias na área restrita aos militares no desfile dizia “os cariocas agradecem as forças de segurança por nos ajudarem a construir um Rio mais pacífico”- em referência ao Plano Nacional de Segurança que atua no Rio, por decreto do presidente Michel Temer (PMDB).

O secretário de Segurança do Rio, Roberto Sá, também assistiu ao desfile. Assim como no ano passado, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) não participou.

Em local afastado da área do desfile da Avenida Presidente Vargas, também aconteceu o protesto tradicional da data, o “Grito dos Excluídos”. A manifestação começou assim que acabou a solenidade militar. Durante o protesto, integrantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e de movimentos sindicais pediam saída do presidente Michel Temer.

 

Mais conteúdo sobre:
Jair BolsonaroMarcelo Crivella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.