Desencontro no governo gera desconfiança, diz FHC

Em entrevista que irá ao ar no próximo domingo, dia 25, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso volta a disparar críticas em relação ao governo Lula. FHC falou ao jornalista João Dória Jr, no último Fórum Empresarial em Comandatuba, Bahia, detacando por exemplo os sinais trocados emitidos pelas diferentes alas do governo e seu efeito negativo sobre o ambiente para os investimentos privados. "O governo parece que está meio desencontrado dentro dele próprio. Porque eles não estão fazendo muito com convicção. A pregação de 20 anos era outra. A cúpula entendeu, mas a base não. Então tem ministro que não concorda, tem militante que não concorda, tem deputado que não concorda", afirma Fernando Henrique.Ele avalia que não é a política econômica do governo Lula que trouxe preocupação quanto à economia. "A crítica, a meu ver, é que se o mundo está favorável, temos de criar condições favoráveis ao investimento; é confiança. O problema não é do setor financeiro nem do Ministério da Fazenda. É o conjunto do governo que gera sinais desencontrados e que gera desconfiança", reforça FHC, que na entrevista nega enfaticamente que concorrerá a um terceiro mandato em 2006.Entre os contidos elogios, o ex-presidente afirma que o governo Lula tem hoje responsabilidade na gerência da situação econômica. E evita confronto pessoal com o presidente Lula. "Nossa relação pessoal é boa. Fomos competidores diretos duas vezes e nunca nos agredimos pessoalmente. Não é o estilo dele. Nem o meu", diz. "Se a herança fosse maldita estariam mudando tudo. Não estão mudando nada"Fernando Henrique defende ainda que não há uma "herança maldita" de sua gestão de governo - "Se fosse maldita estariam mudando tudo. Não estão mudando nada" - e ressalta que politicamente não vê o motivo para a ampla base de coalizão do governo no Congresso. "Não entendi porque foi feita uma aliança tão grande no Congresso. Eu fiz. Mas porque eu fiz? Porque eu queria mudar a Constituição. Mudei mais de 20 vezes. Foi um processo difícil. Agora, quando o governo do presidente Lula quis mudar, nós votamos a favor. Ele não precisa de tantos aliados que custam tão caro. Acho que fez uma aliança grande e não vejo a utilidade dela". A entrevista de FHC vai ao ar no próximo domingo às 22 horas, na Rede TV!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.