Desembarque do PSDB do governo deve ocorrer apenas após divulgação dos áudios contra Temer

Cúpula do partido na Câmara e no Senado optaram por aguardar a liberação das gravações

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 17h37

BRASÍLIA - O “timing” definido por integrantes da cúpula do PSDB da Câmara e do Senado para desembarcarem do governo é a divulgação dos áudios feitos pelo empresário Joesley Batista, da JBS, com o presidente Michel Temer.

As duas bancadas estiveram reunidas hoje e avaliaram o momento de entregar os cargos. Apesar de apelos de alguns parlamentares das duas Casas de deixarem o governo “imediatamente, a tendência é de o movimento ocorrer apenas quando vier a público a conversa realizada entre Batista e Temer em que o presidente teria dado aval à compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Atualmente, o PSDB comanda os ministérios e das Relações Exteriores , Cidades; Secretaria Geral do Governo e a S especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.