Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Desembargador é hostilizado em manifestação contra corrupção

Ex-presidente do TJ-RJ respondia a processo disciplinar por favorecer construtora; caso foi arquivado no mês passado

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2016 | 22h05

RIO - O desembargador Luiz Zveiter, ex-presidente do Tribunal de Justiça do Rio e candidato à reeleição para o cargo, foi hostilizado na manhã deste domingo, 4, durante manifestação contra a alteração do projeto de lei que estabelece dez medidas contra a corrupção. 

Zveiter foi cercado na portaria de seu prédio, na Praia de Icaraí, em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Os manifestantes o chamaram de "ladrão" e chegaram a arremessar um tênis na sua direção. "Ô, Zveiter, pode esperar. A sua hora vai chegar", gritava a multidão. Zveiter apressou-se a entrar no prédio.

Zveiter respondia a Processo Administrativo Disciplinar (PAD) no Conselho Nacional de Justiça. O processo foi arquivado no último dia 8, cinco anos depois de ter sido instaurado. 

O desembargador havia sido acusado de conceder decisões que favoreceram a Construtora Cyrela, empresa defendida pelo escritório de seu filho, Flavio Zveiter. 

Em sua gestão como presidente do TJ, entre 2009 e 2011, Zveiter enfrentou uma das mais longas greves do judiciário e tomou medidas consideradas impopulares: cortou a folha de pagamento e transferiu servidores para o interior. As medidas foram revistas.

A eleição no TJ está marcada para esta segunda-feira, 5. A única adversária é a desembargadora Maria Inês Gaspar, atual vice-presidente do Tribunal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.