Desembargador dá prazo até quarta- feira para servidores encerrarem greve

Caso não exista um acordo, tribunal vai adotar 'medidas' contra os sindicatos e associações

O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2010 | 08h44

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo estabeleceu nesta quinta-feira, 29, prazo para que as negociações com os servidores em greve sejam encerradas. Segundo o desembargador Antonio Carlos Viana Santos, um acordo para pôr fim à paralisação deve ser fechado até quarta-feira. Caso contrário, disse, o tribunal vai adotar "medidas" contra os sindicatos e associações que representam os servidores.

 

"Vou monitorar a greve e aguardar o andamento. Depois de quarta-feira, vou tomar uma série de medidas para que os trabalhos sejam retomados. Não posso adiantar quais são e nem vou falar mais para não atrapalhar as negociações", afirmou o desembargador. Ontem foi o primeiro dia de paralisações no Judiciário paulista. O sindicato dos servidores do Poder Judiciário do Estado calcula que 40% dos 42 mil servidores tenham aderido ao movimento.

Tudo o que sabemos sobre:
TJgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.