Descoberta no Ceará quadrilha que fraudava INSS

A Operação Santuário, desenvolvida pela Polícia Federal em Juazeiro do Norte, a 528 quilômetros de Fortaleza, desbaratou uma quadrilha que aplicava golpes contra a Previdência Social. Quatro pessoas foram detidas e documentos armas, munição e computadores apreendidos. Não se sabe ainda o montante de recursos desviados. Os auditores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) estão fazendo o levantamento, que não tem previsão para ser concluído.Em Mombaça, a 293 quilômetros de Fortaleza, foram detidos pela Polícia Federal Francisco Djacir Marques; Margarida Lima Martins e Manoel Pinheiro Leitão. Os dois últimos foram apenas ouvidos e liberados em seguida. Francisco Djacir foi solto no sábado após pagar fiança. Em Juazeiro do Norte, foi presa Nancy Viana de Andrade, ex-gerente do INSS de Mombaça e apontada pela PF como a chefe do grupo. Ela continua presa. Na casa dela, a polícia encontrou uma pistola 7,65 milímetros, um revólver calibre 38, uma pistola 6,35 milímetros e um rifle Puma (também calibre 38). De acordo com as investigações, Nancy e Francisco Djacir fraudavam pedidos de benefícios e cobravam propina para acelerar a tramitação de processos. As irregularidades eram praticadas na agência do INSS de Mombaça. No início deste ano Nancy e o marido, Litônio Silva, sofreram um atentado no qual ele morreu e ela feriu o braço. Em abril, ela foi morar no bairro Aeroporto, em Juazeiro. De acordo com o delegado da PF, Odlani Maia Guedes, Nancy e Francisco Djacir vão responder pelos crimes de formação de quadrilha e estelionato, além de porte ilegal de armas no caso da ex-gerente. A Operação Santuário é permanente e envolve uma força-tarefa composta pela PF, Ministério Público Federal e auditores do INSS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.