Descoberta conta de ex-juiz em Miami

A Força Tarefa que investiga o desvio de recursos da construção superfaturada do prédio do Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo, identificou mais uma conta de propriedade do juiz Nicolau dos Santos Neto no exterior. A conta foi aberta no Delta Bank de Miami, nos Estados Unidos, em 6 de agosto de 1991, cinco meses antes da licitação que escolheu a empresa Incal Incorporações S.A para a construção do prédio. De agosto a janeiro, a conta recebeu depósitos de US$ 490 mil, o que é um indício de que o juiz teria recebido dinheiro para direcionar a escolha da empresa. Dos US$ 490 mil, US$ 200 mil foram transferidos para a conta de Nicolau no Banco Santander, na Suíça. Segundo o representante da Advocacia Geral da União na Força Tarefa, Antenor Madruga, esta é uma prova importante de que Nicolau fazia lavagem de dinheiro. Na próxima semana, o governo brasileiro irá enviar ao procurador geral de Genebra, Bernard Bertossa, uma petição penal com esta e outras provas, anexadas em um documento de 36 páginas elaborado nos últimos três meses. Com essa petição, a Força Tarefa tentará provar que Nicolau desviou dinheiro público e usou as contas bancárias para lavagem de dinheiro. O juiz Nicolau está sendo processado, também na Suíça, por crime de lavagem de dinheiro. O Brasil quer pedir habilitação penal da Suíça como parte civil neste processo. "Somos a vítima e queremos o dinheiro bloqueado na conta de Nicolau de volta", disse Madruga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.