Desaparecimento de bovinos aumenta na Fazenda Teijin

Enquanto não acontece o julgamento da questão agrária estabelecida entre o Grupo Agropecuário Teijin e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), aumenta o desaparecimento de bovinos da fazenda da empresa, situada em Nova Andradina, a 240 quilômetros de Campo Grande, leste de Mato Grosso do Sul.Segundo queixas registradas na Delegacia Central de Polícia Civil daquela cidade, durante os últimos oito meses deste ano, pelo menos 2 mil animais desapareceram do local. O advogado da empresa, Diamantino Silva Filho, informou que até maio existiam 10 mil cabeças de nelores na fazenda Teijin. Nesta quinta, foram apreendidos 40 bovinos furtados.Diamantino explicou ainda que já entrou com pedido no Supremo Tribunal Federal, para o julgamento do mérito. Há seis anos, o Grupo Teijin alega que a fazenda é produtiva e o Incra não. Durante o impasse, famílias de sem-terra da Federação dos Trabalhadores na Agricultura e do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-terra (MST) receberam autorização da Justiça para acampar na área, onde o Incra resolveu implantar o assentamento.Uma decisão de julho deste ano, da presidente do STF, Ellen Gracie, garantiu, através de liminar, a continuação do assentamento e o cancelamento das liminares expedidas pelo Tribunal Regional Federal de São Paulo, dando reintegração de posse ao proprietário e despejo imediato dos sem-terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.