Desafetas, Dilma e Marina Silva se evitam durante festa

Desde o lançamento do PAC, Dilma acusava a então ministra de enrolar na concessão da licença ambiental

AE, Agencia Estado

15 de janeiro de 2009 | 09h57

Desafetas, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e a senadora Marina Silva (PT-AC), ex-ministra do Meio Ambiente, evitaram encontrar-se na noite de terça-feira, na festa de despedida de Jerson Kelman da presidência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Assessores das duas petistas, segundo apurou o Estado, mantiveram contato o tempo todo para evitar que elas se encontrassem.Marina foi a primeira a chegar ao Clube de Golfe de Brasília, onde houve o jantar festivo de despedida de Kelman. Sentou-se, com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ao lado de Kelman, e ali permaneceu por cerca de uma hora e meia. Cinco minutos depois de ir embora chegou Dilma, acompanhada do ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro. Desde o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em janeiro de 2007, Dilma acusava Marina de enrolar na concessão da licença ambiental, principalmente das hidrelétricas, a exemplo de Jirau e Santo Antônio, ambas no Rio Madeira, em Rondônia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
governoDilmaMarina SilvafestaAneel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.