Deputados visitam fábrica vendida por Olavo Calheiros

Três deputados federais do Conselho de Ética da Câmara, que investigam se houve irregularidade na compra da fábrica de refrigerantes Conny pelo Grupo Schincariol, que teria saído favorecido numa renegociação de dívidas com o Instituto Nacional de Seguridade Social, por influência do senador Renan Calheiros (PMDB), estiveram hoje na sede da indústria, em Murici, a 59 quilômetros de Maceió. Antes de ser vendida ao Grupo Schincariol, a fábrica de refrigerantes Conny pertencia ao deputado federal Olavo Calheiros (PMDB), que é irmão do presidente licenciado do Senado. A fabrica teria sido vendida por R$ 27 milhões, preço bem acima do de mercado. Participaram da visita à unidade da Schincariol em Murici, que é a cidade natal de Renan, os deputados federais José Carlos Araújo (PR-BA), Moreira Mendes (PPS-RO) e Sandes Júnior (PP-GO). O deputado federal Dagoberto Nogueira Filho (PDT-MS) também faria parte da comitiva, mas não participou da visita. Os parlamentares chegaram à fábrica por volta das 15 horas e percorrem as dependências da empresa enquanto ouviam as explicações do diretor financeiro da empresa, José Domingos Francischelli, sobre a negociação entre o Grupo Schincariol e os Calheiros. Aos deputados, o funcionário do Grupo Schincariol negou que o negócio de compra tenha sido feito com intermédio do senador Renan Calheiros, mas sim seu irmão. "Compramos os ativos e os passivos, diretamente do deputado Olavo Calheiros", disse Domingos. Quanto aos passivos, ele se refere às parcelas do empréstimo feito pelo deputado alagoano ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB) em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor das parcelas não foi revelado, mas José Domingos disse que ainda faltam quarenta a serem quitadas. Os três deputados estiveram também na prefeitura de Murici, onde foram recebidos pelo prefeito Renan Filho (PMDB), que é filho do senador Renan Calheiros. Os integrantes do Conselho de Ética da Câmara passaram a tarde no município, que é o principal reduto político da família Calheiros. Eles não quiseram adiantar nada que pudesse compromete o deputado investigado e seu irmão senador, mas disseram que a visita foi proveitosa. "Pelo menos serviu para pudéssemos conhecer a fábrica da Schincariol e conversar com o prefeito do município Renan Filho", afirmou o deputado baiano José Carlos Araújo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.