Deputados terão mais verba de gabinete

Está pronto, no Palácio do Planalto, um pedido de crédito suplementar no valor de R$ 70 milhões feito pelo presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG). Este crédito não traz impacto financeiro, uma vez que não são recursos novos, tratando-se apenas de um redirecionamento de verbas. O remanejamento deverá ser utilizado para arcar com o aumento da verba de gabinete dos 513 deputados federais. A verba deverá saltar dos atuais R$ 20 mil para R$ 35 mil mensais.Os R$ 70 milhões que estão sendo remanejados no orçamento da Câmara, que é de R$ 1,5 bilhão ao ano, são suficientes para pagar o acréscimo de R$ 15 mil na verba de gabinete dos deputados, a partir do próximo mês até dezembro. O projeto de crédito suplementar redirecionando o uso de R$ 70 milhões do orçamento da Câmara está pronto, na Casa Civil. Foram cancelados gastos com pessoal, e o crédito suplementar remaneja as verbas para o custeio. Uma das medidas adotadas por Aécio Neves para economizar com o funcionalismo da Câmara é a extinção de 270 cargos na estrutura de pessoal da Casa. "Também já determinei o corte em 10% de todos os contratos na Câmara", afirmou o tucano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.