Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Deputados querem restringir compra de automóveis para Executivo

Presidente Jair Bolsonaro enviou pedido ao Congresso para a compra de novos veículos para ele, seu vice, e os ex-presidentes ainda vivos, como ordena a regulamentação

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2019 | 18h42

BRASÍLIA – Um grupo de três deputados e um senador apresentou emendas nesta terça-feira, 26, para que a compra de novos automóveis para ex-presidentes e presidentes seja realizada somente para o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro, e seu vice Hamilton Mourão. As emendas visam alterar o projeto de lei para modificação da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019. 

Em 12 de março, o presidente Jair Bolsonaro enviou ao Congresso um pedido para autorizar a compra de carros oficiais novos para ele, Mourão e seus antecessores Michel Temer, Dilma Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor e José Sarney. Foi a primeira mensagem do atual governo para alterar o texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019.

O senador Major Olímpio (PSL-SP) e o deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP) querem acabar com o benefício para os ex-presidentes, sob a alegação de que apenas os atuais mandatários necessitam dos veículos por questões de segurança.

Menos restritivo, o deputado Guilherme Derrite (PP-SP) defende que a restrição de compra seja feita apenas para ex-presidentes da República que tenham sido condenados por crime comum, de responsabilidade ou infração eleitoral.

Já o deputado Bohn Gass (PT-RS) apresentou uma emenda para retirar todo o trecho da lei, o que impediria a compra de um carro oficial novo para Bolsonaro.

As emendas ainda precisam ser analisadas e serão votadas quando o projeto for analisado pela Comissão Mista de Orçamento. Ainda não há data para isso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.