André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Deputados petistas fazem abaixo-assinado pela ação contra Cunha no Conselho de Ética

Autores do documento esperam contornar a manobra feita pelo governo de evitar que o partido fechasse questão contra o peemedebista e o provocasse a autorizar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2015 | 14h22

Atualizada às 17h17

São Paulo - Um grupo de deputados federais do PT está coletando assinaturas desde a manhã desta terça-feira, 1, para um documento que defende o prosseguimento da representação contra deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Conselho de Ética e o imediato afastamento do peemedebista da Presidência da Câmara. 

A iniciativa é de deputados que assinaram o documento "Muda PT!" durante o Congresso Nacional do Partido, em junho. Na época, o texto teve adesão de 35 dos 60 deputados federais petistas, incluindo parlamentares de diversas correntes internas. 

Segundo os articuladores, 31 dos 60 deputados petistas já assinaram o documento. Entre eles Paulo Teixeira (SP), Luizianne Lins (CE), Vicentinho (SP), Pepe Vargas (RS), Afonso Florence (BA) e Margaria Salomão (MG).

O objetivo é construir uma maioria na bancada federal contra Cunha até o início da sessão do Conselho que vai decidir pelo prosseguimento ou não da representação e, assim, pressionar os três deputados petistas que integram o colegiado a votar contra o presidente da Câmara. 

Com isso, os autores do documento esperam contornar a manobra feita pelo governo de evitar que o partido fechasse questão contra o peemedebista e o provocasse a autorizar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O líder do PT na Câmara, Sibá Machado (PT-AC), se recusou a convocar uma reunião da bancada para fechar questão sobre o destino de Cunha. Segundo fontes petistas, ele seguiu orientação do Palácio do Planalto, que teme uma represália do peemedebista com a abertura do processo de impeachment. Além disso, um grupo de deputados petistas é aliado de Cunha. Sibá não atendeu os telefonemas da reportagem para comentar o assunto. 

Além disso, a direção nacional do PT se recusou a deliberar uma posição sobre o tema, também por orientação do Planalto para evitar represálias de Cunha. Em sua última reunião, o Diretório Nacional do PT havia determinado que os três petistas no Conselho de Ética votariam conforme determinação partidária. No entanto, o presidente do PT, Rui Falcão, não convocou a direção para decidir a orientação.

Segundo o abaixo-assinado, "Cunha tem revelado diuturnamente a falta de qualquer pudor em utilizar sua posição na Câmara em proveito próprio". " Demandamos que o Conselho de Ética decida pelo prosseguimento da representação ali ajuizada, tendo em vista a contundência das provas até então apresentadas contra o deputado", diz o texto. 

Leia a íntegra do abaixo assinado dos deputados do PT:

"Nós, Deputados Federais abaixo-assinados, junto com outros que ainda virão a assinar o presente documento, demandamos, mais uma vez, o imediato afastamento do Deputado Eduardo Cunha da Presidência da Câmara dos Deputados, bem como a admissão e prosseguimento da representação contra ele ajuizada no Conselho de Ética.

Com efeito, o Deputado Eduardo Cunha tem revelado, diuturnamente, a falta de qualquer pudor em utilizar sua posição de direção da Câmara Federal em proveito próprio, inclusive promovendo e patrocinando o cancelamento de sessão do Conselho de Ética, atacando Instituições e praticando toda sorte de chantagens.

A oposição, por sua vez, até poucos dias atrás legitimou todas as ações do Deputado Eduardo Cunha, beneficiando-se desta relação de conveniência. Agora, ao passar a defender o afastamento de Eduardo Cunha, o faz obstruindo toda e qualquer votação de interesse do País.

Devemos pois, nos manifestar firmemente contra qualquer tentativa do Deputado Eduardo Cunha em se utilizar do cargo para beneficiar sua defesa, em detrimento dos interesses da Sociedade Brasileira.

Demandamos que o Conselho de Ética decida pelo prosseguimento da representação ali ajuizada, tendo em vista a contundência das provas até então apresentadas contra o Deputado Eduardo Cunha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.