Deputados e seguranças trocam agressões na Câmara

Instalou-se um forte clima de tensão por volta das 14h na comissão de Trabalho da Câmara, que está discutindo o projeto do governo que flexibiliza a legislação trabalhista. Deputados oposicionistas e dirigentes sindicais trocaram agressões físicas com seguranças da Câmara encarregados de impedir o acesso de manifestantes ao plenário da Comissão. No confronto, uma porta de vidro foi quebrada e alguns manifestantes tiveram ferimentos leves. Um dos deputados que lideravam o protesto, Henrique Fontana (PT-RS), disse que exigirá um pedido de desculpas do presidente da Câmara, Aécio Neves, porque foi impedido de circular livremente no Congresso. Também houve uma segunda troca de agressões entre deputados que representam o movimento sindical e seguranças. Os deputados se disseram indignados pelo fato de um segurança sem identificação estar filmando uma reunião informal deles durante o momento em que a sessão estava suspensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.