Deputados do DF pedem informações sobre prisão de arapongas

Policiais civis foram presos enquanto realizavam escutas telefônicas clandestinas na Câmara Legislativa

estadao.com.br,

09 Fevereiro 2010 | 10h56

Por iniciativa do líder do PT, deputado Paulo Tadeu, deputados distritais foram nesta segunda-feira, 8, à tarde ao Complexo da Policia Civil do DF, no Sudoeste, para pedir ao diretor-geral da instituição, delegado Pedro Cardoso, informações sobre a prisão de policiais civis de Goiás que estavam realizando escutas telefônicas clandestinas na Câmara Legislativa.

 

Veja também:

link Polícia do DF confirma prisão de supostos espiões de Arruda

video Testemunha do mensalão do DEM gravou tentativa de suborno

 

Para Paulo Tadeu, o crime de espionagem, que teria sido cometido pelos policiais civis, merece o repúdio veemente, porque é uma ameaça ao estado democrático de direito. "Não vamos nos curvar frente a quaisquer atos ou práticas que buscam a intimidação daqueles que defendem o patrimônio público e os reais interesses da sociedade", afirmou o parlamentar.

 

Um ofício assinado pelos deputados da bancada do PT na Câmara Legislativa - Chico Leite, Cabo Patrício, Erika Kokay e Paulo Tadeu -, além da deputada Jaqueline Roriz (PMN), Reguffe (PDT) e Alírio Neto (PPS), foi entregue à Polícia Civil.

 

Após o encontro, o líder do PT, deputado Paulo Tadeu, disse que ainda restam muitas perguntas sem respostas. "Ele não quis nos dizer se já há suspeitas sobre quem é o mentor da arapongagem", afirmou o petista.

 

A deputada Jaqueline Roriz informou que o diretor garantiu que as investigações estão encaminhadas. "Agora precisamos aguardar, esse é um momento de cautela", disse a deputada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.