Isadora Peron|Estadão
Isadora Peron|Estadão

Deputados antecipam carnaval e deixam Brasília nesta quarta

Antes de embarcar, no entanto, os deputados Ricardo Izar (PP-SP) e Walter Ihoshi (PSD-SP) fizeram questão de passar na Câmara, registrar presença em plenário e correr para o aeroporto

Isadora Peron e Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2017 | 16h34

Faltando poucos dias para o início da folia em todo o País, parlamentares resolveram antecipar o feriado de Carnaval na manhã desta quarta-feira, 22, e deixar Brasília. Antes de embarcar, no entanto, os deputados Ricardo Izar (PP-SP) e Walter Ihoshi (PSD-SP) fizeram questão de passar na Câmara, registrar presença em plenário e correr para o aeroporto. Deputado que não marca presença no plenário em sessão de votação tem o dia de trabalho descontado do salário no fim do mês.

A folga de Carnaval dos deputados vai durar 12 dias. Os parlamentares só voltam ao trabalho no dia 6 de março. 

Logo depois da rápida passagem pela Câmara, Izar e Ihoshi foram flagrados pelo Estado por volta das 10h na fila de embarque do voo da Gol 1449, que decolou às 10h20, com destino ao aeroporto de Congonhas, na capital paulista. Enquanto aguardavam o embarque, uma sessão deliberativa havia sido aberta às 9h no plenário para apreciar três projetos de acordos internacionais, mas não houve votações por falta de quórum. Às 10h a sessão deliberativa foi suspensa e na sequência foi aberta uma sessão solene de homenagem aos 100 anos do Lions Club. Ao término do evento a sessão foi retomada e em seguida encerrada. Se houvesse votação nominal (com necessidade de nova confirmação da presença), os deputados receberiam falta e estariam sujeitos a desconto do dia não trabalhado. 

 

Izar disse que decidiu antecipar o voo porque foi informado que não haveria votações hoje. “Não tem nada, não tem ordem do dia”, justificou. Por telefone, Izar contou que ainda estava a caminho do aeroporto, quando na verdade estava no ônibus que o levava à aeronave. O parlamentar já foi presidente do Conselho de Ética e deve disputar a vaga novamente este ano. Nesta quinta-feira, 23, Izar enviou a seguinte nota à reportagem: "Em primeiro lugar conforme determinado pelo Presidente da Câmara dos Deputados, não haveria votação nominal naquela data; em segundo lugar, como Presidente da Frente Parlamentar da Habitação e Desenvolvimento Urbano do Congresso Nacional, fui convidado Pelo SECOVI- SP, para uma reunião-almoço com a participação do Prefeito João Dória para discutir tema afeto à questão habitacional".

 

Já Ihoshi minimizou sua ausência no plenário. "Hoje vai ter só votação por consenso. Já liberou", respondeu ao Estado já dentro da aeronave. Nesta manhã, mais de 400 parlamentares registraram presença na Casa, mas poucos foram vistos circulando pelos corredores da Câmara. 

Semana curta. Em semanas sem feriado, a quarta-feira é o dia mais intenso de votações no Congresso. Normalmente, os deputados deixam para ir embora de Brasília na quinta-feira à tarde, quando já não há mais sessões deliberativas previstas na agenda de votações.

Com a expectativa de um baixo quórum esta semana por conta do Carnaval, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), antecipou o calendário e convocou sessão já para a segunda-feira. Ontem, por exemplo, os trabalhos começaram às 10h e acabaram depois das 22h, com a aprovação de uma Medida Provisória e de seis projetos. Amanhã, porém, haverá apenas sessões para pronunciamentos, quando não são descontados os salários dos faltantes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.