Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Deputado sugere que comissão da Câmara chame Gleisi e Paulo Bernardo para dar explicações

Os requerimentos apresentados por Fernando Francischini (SD-PR) incluem pedido de oitiva do ex-ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, e do ex-presidente do Serpro, Marcos Mazoni

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2016 | 17h49

BRASÍLIA - O deputado Fernando Francischini (SD-PR) anunciou nesta sexta-feira, 24, a apresentação de requerimentos para ouvir a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo, preso na última quinta-feira, 23, na Operação Custo Brasil, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara.

Os requerimentos incluem pedido de oitiva do ex-ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, e do ex-presidente do Serpro, Marcos Mazoni, para que expliquem o esquema de pagamento de propina a partir da liberação de crédito consignado a servidores públicos. O deputado também protocolou uma proposta de fiscalização financeira solicitando ao Tribunal de Contas da União (TCU) uma auditoria nos contratos firmados na época que abrange as investigações da operação deflagrada ontem pela Polícia Federal.

"Queremos saber como esse dinheiro era desviado. Também queremos informações sobre os milhões em contratos que essa empresa, a Consist, tinha em vários ministérios do governo petista. Tenho certeza que a partir da proposta de fiscalização e controle que estou apresentando, para que o Tribunal de Contas da União faça uma varredura em todos esses acordos, vamos constatar que campanhas do PT estavam sendo financiadas com novo desvio do ministério do Planejamento e empréstimos consignados", afirmou o parlamentar por meio de nota distribuída pela assessoria do Solidariedade.

Francischini é adversário político do PT no Paraná e deixou a Secretaria de Segurança do governo tucano de Beto Richa (PR) no ano passado sob o desgaste da truculência com que a Polícia Militar enfrentou uma manifestação de professores em greve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.