Deputado que posou de cueca foi injustiçado, diz Itamar

O governador de Minas, Itamar Franco (PMDB), lembrou hoje o curioso caso do ex-deputado federal Edmundo Barreto Pinto, da antiga Guanabara, que perdeu o mandato em 1949, ao comentar a confissão de culpa do senador José Roberto Arruda (PSDB-DF), no episódio da violação do painel do Senado. Insinuando que Arruda deve ser cassado, Itamar disse que o caso do senador é tão grave e deixou tão "atônita" a sociedade que o Congresso deveria até desculpar-se com Barreto Pinto, excluído da Câmara após ter aparecido em uma foto de paletó e cueca, o que caracterizou quebra de decoro. "O Congresso deveria pedir desculpas ao ex-deputado Barreto Pinto que, coitado, foi cassado por posar para uma fotografia usando casaca e trajes menores, no Rio", afirmou o governador, em tom de ironia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.