Deputado promete material para CPI da Asefe

O deputado distrital Alírio Neto (PPS) promete encaminhar, nesta quarta-feira, documentos à Câmara Legislativa do Distrito Federal para alimentar as investigações da CPI criada para apurar denúncias de desvio de recursos para campanhas eleitorais da esquerda.Os alvos da comissão parlamentar de inquérito instalada nesta segunda-feira são o ex-governador Cristovam Buarque (PT), o deputado federal Agnelo Queiroz (PC do B), deputados distritais petistas e dirigentes da Associação dos Servidores da Fundação Educacional (Asefe).Desvio de recursosSegundo Alírio Neto, os papéis revelam indícios de desvio de recursos da Asefe para campanhas da esquerda e fundamentam um inquérito aberto na 1ª Delegacia de Polícia. Em uma das 24 páginas da documentação a que o Estado teve acesso, há uma relação de valores em dinheiro e nomes de pessoas ligadas a políticos que teriam recebido recursos da Asefe de forma irregular.Empréstimos indevidosOs recursos, supostamente destinados a aliados de políticos na entidade, seriam referentes a empréstimos concedidos indevidamente pela associação. Segundo Alírio Neto, dirigentes da Asefe filiados a partidos de oposição teriam autorizado a liberação de dinheiro de tíquetes em valores acima do permitido.O parlamentar do PPS prometeu entregar nesta quarta os papéis ao presidente da CPI da Asefe, deputado distrital João de Deus (PPB). Mas os cinco integrantes titulares da CPI vão começar a analisar a documentação na próxima semana, porque João de Deus decidiu adiar a sessão desta quarta da comissão para a quarta-feira que vem.Disputa política acirradaO presidente da CPI alegou que a reunião da comissão só poderia ocorrer depois que outros documentos sobre o caso solicitados à Justiça, Polícias Civil e Federal e outros órgãos públicos fossem encaminhados à Câmara distrital.Em meio às denúncias, há uma acirrada disputa entre ex-dirigentes e atuais diretores ligados ao PT, PCB, PC do B e PPS. O próprio Alírio Neto é adversário político do PT e de seu suplente e principal autor das denúncias, o ex-diretor financeiro da Asefe Firmino Pereira do Nascimento.Guerra internaHá também uma guerra interna no PT do Distrito Federal, e o partido deve expulsar petistas envolvidos no caso. No último sábado, os maridos das deputadas distritais petistas Maria José Maninha e Lúcia Carvalho, supostamente beneficiárias do dinheiro da Asefe, teriam até mesmo trocado socos em reunião do partido.O episódio também tem sido explorado politicamente pelo governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PMDB), principal adversário do PT. Nesta segunda-feira, o caso sustentou a maior parte do programa eleitoral gratuito do PMDB transmitido pelas emissoras de rádio e televisão. Como reação, o líder do PT na Câmara distrital, deputado Chico Floresta, encaminha nesta quarta pedido de abertura de uma CPI para investigar denúncia de distribuição irregular de lotes pelo governo de Roriz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.