Gustavo Lima/Câmara dos Deputados
Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Em sessão da Câmara, deputado profetiza que Deus irá 'curar' Mara Gabrilli

No plenário da Casa, Cabo Daciolo (Patriotas-RJ) afirmou que a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), tetraplégica, voltaria a andar

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 11h34
Atualizado 13 Julho 2018 | 15h46

SÃO PAULO - O deputado federal Cabo Daciolo (Patriotas-RJ) profetizou a "cura" de sua colega de trabalho, a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), tetraplégica, em uma sessão no plenário da Câmara dos Deputados na última quarta-feira, 11. 

+ Deputado federal publica vídeo em defesa da intervenção militar

No início de sua fala, o deputado advertiu os colegas que o que diria seria visto como loucura por alguns. “O que vou falar vai parecer loucura para muitos, mas eu prefiro a loucura de Deus do que a sabedoria dos homens”. O deputado continuou o discurso  comentando que havia se encontrado com a deputada no corredor da Casa e decidiu dizer algo que já queria há muito tempo. 

"Esqueçam religião. Não estou aqui para pregar religião. Há dois anos Deus me cobra para falar algo para essa deputada. Quero diante de todos profetizar a cura da deputada Mara. Eu creio que aquela mulher vai levantar da cadeira e começar a andar. Eu peço ao Deus das causas impossíveis que ele possa estender a mão dele e possa tocar na sua serva", afirmou ele, apontando na direção de Mara Gabrilli, que ficou tetraplégica após um acidente de carro em 1994. 

Com a Bíblia nas mãos, ele afirmou que, com a palavra de Deus, os enfermos podem ficar curados. "Eu estou diante de muitos descrentes. Eu saio daqui e vou me direcionar a ela. Vou a um lugar em particular. Creio que em alguns minutos ela voltará a andar", disse. 

Mara Gabrilli, que é psicóloga e publicitária, está em seu segundo mandato como deputada federal e uma de suas principais pautas é a defesa das pessoas com deficiência. Ela é presidente da Comissão em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência na Câmara e vai representar o Brasil no Comitê da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência de 2019 a 2022.

Procurada pelo Estado, Mara afirmou que o primeiro contato que teve com Daciolo foi no início de julho deste ano, quando conheceu um funcionário com autismo que integra o gabinete do deputado. No mesmo dia em que conheceu o jovem, ela foi parabenizar Daciolo pela atitude de contratar alguém com o transtorno que, segundo ela, costuma enfrentar dificuldades para ingressar no mercado de trabalho.

Após o primeiro contato, o deputado federal deu uma Bíblia para Mara e, na última quarta, disse que faria um pronunciamento para ela no plenário. Sobre o discurso, a parlamentar disse que não o achou invasivo ou desrespeitoso. "Estou muito habituada. Não fico chateada, sou muito bem resolvida e consigo fazer tudo que eu faço sendo tetraplégica", afirmou. Com bom humor, Mara diz que nem tentou andar para ver se o milagre ia mesmo acontecer. 

"Às vezes, ouço ali na Câmara absurdos nocivos ao País, mentiras, dissimulação e falsidade. Não foi esse caso, foi um momento que ele falou o que sentia. Encarei numa boa", disse. 

Em 2015, o deputado Cabo Daciolo foi expulso do PSOL por fazer declarações e projetos com viés religioso. Na época, ele apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que queria acrescentar a afirmação de que “todo o poder emana de Deus” na Constituição Brasileira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.