Deputado Pedro Henry pode ficar na cela de Dirceu e Delúbio

Parlamentar condenado por envolvimento no mensalão teve a prisão decretada nesta sexta e vai cumprir pena em regime semiaberto; defesa pedirá transferência para Cuiabá

Débora Álvares - O Estado de S. Paulo

13 Dezembro 2013 | 15h13

Brasília - O deputado Pedro Henry (PP-MT), preso nesta sexta-feira, 13, por envolvimento no mensalão, pode ser companheiro de cela dos petistas José Dirceu e Delúbio Soares, segundo informou seu advogado, José Antônio Duarte Álvares. A ordem de prisão do parlamentar, que renunciou ao cargo antes de se apresentar à Polícia Federal, foi expedida nesta sexta pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao deixar a Superintendência da Polícia Federal em Brasília, o advogado disse ainda que Henry se entregou à PF pouco antes do meio-dia, antes mesmo da formalização do mandado de sua prisão. "Já estávamos aqui quando o documento chegou por e-mail, mas estava inelegível e o original nem sequer foi entregue ainda. O STF ainda está aprendendo a fazer execuções", afirmou. Após passar por exames, ele foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda.

Pedro Henry foi condenado a 7 anos e 2 meses de prisão em regime semiaberto por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O advogado ressaltou que o deputado não tem problemas de saúde que o impeçam de cumprir pena na cadeia. A defesa vai pedir a transferência de Henry para Cuiabá, onde vive sua família, tão logo o processo esteja disponível.

De acordo com Álvares, também serão encaminhadas sugestões de trabalho para o período em que ficar fora da prisão. "Ele (Pedro Henry) é médico, com três especialidades. Não vai ser difícil receber uma oferta de emprego", afirmou. Henry é médico-legista, clínico geral e hiperbárico.

Mais conteúdo sobre:
mensalão Pedro Henry

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.