Deputado pede intervenção do governo em conflito com brasiguaios

Parlamentar quer que Brasil acompanhe situação de agricultores no Paraguai

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo

15 de fevereiro de 2012 | 18h30

SOROCABA - O deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB-PR) pediu oficialmente nesta quarta-feira, 15, a intervenção do governo brasileiro na tentativa de evitar conflito com os brasiguaios - agricultores brasileiros que residem em território da República do Paraguai, em áreas fronteiriças com o Brasil, nas regiões de Canindeyú e Alto Paraná. O parlamentar protocolou na Câmara requerimento para a criação de Comissão Externa para acompanhar o conflito. "O objetivo é conhecer as ações que estão sendo realizadas pelo governo daquele país para proteger os brasileiros no conflito de terras que envolvem os chamados carperos (sem-terra) e brasiguaios," disse Kaefer.

 

Cerca de 350 mil brasileiros vivem no Paraguai e a maioria é agricultor de origem alemã, italiana, eslava e falante do idioma português, dos quais boa parte vive naquela região há muitos anos. Os brasiguaios tentam na Justiça fazer prevalecer o direito que têm sobre as terras, a maioria delas adquiridas há cerca de 40 anos, quando, incentivados pelo presidente Alfredo Stroessner, imigraram para o Paraguai. Kaefer afirma que os brasileiros se multiplicaram e prosperaram em solo paraguaio, trazendo crescimento econômico para o país, especialmente na agricultura, com a plantação de soja. "O Paraguai se tornou um dos principais exportadores mundiais do produto", ressaltou.

 

Fora a agricultura, que é a atividade econômica mais importante do país, a economia paraguaia é pobre e bastante dependente dos comerciantes dos países vizinhos, como os sacoleiros brasileiros que vão às compras na região. Boa parte da população vive da economia informal, já que a industrialização se limita a produtos agrícolas, florestais e alguns bens de consumo. "Uma fonte importante de divisas vem das hidrelétricas de Itaipu e Yacyreta, pois, os excedentes da energia não utilizada pelo Paraguai são adquiridos pelo Brasil e pela Argentina", frisou o deputado.

 

Kaefer relatou que o conflito entre brasileiros que residem no Paraguai e agricultores sem terra paraguaios vem se arrastando há tempo. Segundo ele, a situação, hoje, alcançou um estágio extremo e merece atenção especial das autoridades brasileiras. Os carperos os acusam de terem adquirido terras de forma fraudulenta e reivindicam a propriedade dos terrenos. Os brasiguaios reclamam que o governo paraguaio não toma providências para impedir invasões e ainda alegam que a polícia não cumpre os mandatos judiciais para retirada dos invasores. "É importante que os parlamentares da representação possam tomar o conhecimento com profundidade da situação e dos entendimentos que estão ocorrendo entre os dois países. Apesar da cidadania paraguaia, tratam-se de brasileiros e como tal merecem a atenção e segurança do nosso governo brasileiro", disse Kaefer.

 

Hoje à tarde, uma Comissão Permanente do Congresso paraguaio estará na região. Os produtores afetados pelo conflito de terras da zona de Nacunday, no Alto Paraná, se reúnem de manhã na Cooperativa Colonias Unidas para preparar um documento a ser entregue à comissão parlamentar. De acordo com Eugenio Krug, da Coordenadoria Agrícola do Paraguai, o governador de Itapúa, Juan Afara, e outros políticos devem participar do encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.