Deputado pede à corregedoria para apurar 'censura' na Assembleia Legislativa de SP

Deputado pede à corregedoria para apurar 'censura' na Assembleia Legislativa de SP

Segundo Rafael Silva, uma notícia sobre um pronunciamento seu feito na tribuna da Casa contendo críticas ao governo estadual foi publicada com texto modificado e críticas amenizadas

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2015 | 19h23

Uma notícia sobre um pronunciamento do deputado Rafael Silva (PDT) na tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo contendo críticas ao governo estadual foi publicada na edição de 6 de outubro da imprensa oficial da AL com o texto modificado e com as críticas amenizadas. Nesta segunda-feira, 16, o deputado pediu à Corregedoria Parlamentar a apuração do que chamou de “censura” ao material jornalístico.

A notícia original, produzida pelo assessor de imprensa de Silva com o título “Demissão do secretário da Saúde”, trazia críticas ao governo estadual por não ter dado continuidade aos testes com a fosfoetanolamina sintética, substância desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) e usada por pacientes com câncer. O deputado, segundo a nota, pediu ao governador a “exoneração do secretário David Uip” e, no caso de não atendimento, a do próprio governador.

A notícia publicada na edição oficial – e creditada ao assessor do deputado – fez menção à “continuidade dos testes da fosfoetanolamina” e retirou do texto as menções à exoneração do secretário e a crítica ao governador. De acordo com Silva, a matéria publicada é “totalmente divergente” da que foi enviada pela sua assessoria.

A assessoria de imprensa da AL informou que “não houve qualquer censura ao texto” e que o título foi mudado por dar a entender que o secretário foi demitido, o que não era o caso. Informou ainda que o espaço reservado às atividades dos parlamentares tem limites para texto e manchete, ao contrário do espaço para opiniões, que é mais amplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.