Deputado paga empresa da família da mulher com verba da Câmara

Gladson Cameli (PP-AC) destinou, desde abril de 2009, R$ 270 mil a empresas de parentes

Eduardo Bresciani, do estadão.com.br

06 de setembro de 2011 | 22h40

BRASÍLIA - O deputado federal Gladson Cameli (PP-AC) destinou, desde abril de 2009, R$ 270 mil em recursos da Câmara a empresas de parentes da sua mulher, Ana Paula. Os pagamentos foram feitos por meio da Cota para Atividade Parlamentar, verba a que os deputados têm direito para ressarcir despesas relativas ao mandato.

 

Cameli apresenta quase todos os meses notas das empresas Aerobran Taxi Aéreo e Aerobran Distribuidora, que atua no mercado de combustíveis, para pedir ressarcimento das despesas. Desde abril de 2009, quando a Câmara passou a divulgar o CNPJ das empresas, é possível verificar que o deputado destinou R$ 217,3 mil para a empresa de taxi aéreo e R$ 58,7 mil para o posto de combustível.

 

As duas empresas têm como sócios Abrahão e Nicolau Candido Silva. Abrahão é tio de Ana Paula. Pelas regras da Câmara, o parlamentar não pode ser ressarcido por despesas em empresas próprias ou de parentes até terceiro grau. Neste caso, porém, o parentesco não consta nas vedações, que se aplicam somente até os sogros do deputado. Portanto, a brecha usada por Cameli tem respaldo da Câmara.

 

Além do parentesco, as despesas apresentadas pelo parlamentar geram dúvidas em relação aos serviços prestados. Segundo os dados divulgados no site da Câmara, o deputado apresentou uma nota com data de 1.º de junho deste ano com o valor de R$ 9 mil para o deslocamento de avião para Taruacá (AC) com ida e volta para Cruzeiro do Sul. No dia 25 de abril, porém, o deputado declarou ter pago R$ 7 mil pelo mesmo trajeto.

 

Combustíveis. Os gastos com combustíveis do parlamentar também são altos. A Câmara limitou a R$ 4,5 mil o teto das despesas nesta área e quase todos os meses as despesas chegam a esse montante. No caso da Aerobran Distribuidora, as três notas usadas neste ano têm valor próximo ao teto.

 

Como os dados relativos aos gastos anteriores a abril de 2009 não incluem o CNPJ das empresas é possível que o deputado tenha destinado ainda mais recursos aos parentes de sua mulher. Nas prestações de contas anteriores a esta data existem diversos registros de gastos com combustíveis e locomoção.

 

O Estado procurou a assessoria de imprensa de Cameli, mas não obteve resposta. A reportagem tentou contato também com a Aerobran, mas não houve retorno.

 

Gladson Cameli é de uma família tradicional na política do Acre. Ele é sobrinho do ex-governador Orleir Cameli, antecessor dos irmãos petistas Jorge e Tião Viana. Cameli também é sobrinho do atual vice-governador do Estado, César Messias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.