Deputado federal Gerônimo da Adefal morre aos 50 anos

Morreu na madrugada deste domingo, 11, aos 50 anos, o deputado federal Gerônimo Ciqueira da Silva, conhecido como Gerônimo da Adefal (PFL-AL). O parlamentar estava internado no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, desde a quarta-feira, 7, em decorrência de uma pneumonia.Gerônimo, que era portador de deficiência física, foi uma das crianças vítimas da talidomida - medicamento usado na década de 50 para controlar ansiedade, tensão e náuseas. Em decorrência disso, Gerônimo nasceu, em 12 de agosto de 1956, com uma série de deficiências físicas.Quando consumido nos três primeiros meses de gestação, o medicamento causa a deformação do feto, provocando o encurtamento dos membros junto ao tronco. Onze anos após o nascimento do deputado, a talidomida foi proibida no Brasil.O corpo de Gerônimo está no Instituto Médico Legal (IML) de Brasília e deve chegar a Maceió por volta das 17 horas deste domingo, quando será velado na Associação dos Portadores de Deficiência Física de Alagoas (Adefal), entidade presidida pelo deputado.O sepultamento está previsto para segunda-feira, 12, no Cemitério Parque das Flores, mas o horário ainda não foi definido. Gerônimo foi eleito com 71.209 votos e estava em seu primeiro mandato como deputado federal. Antes, o parlamentar havia sido vereador por duas vezes em Maceió. Sua vaga na Câmara deve ser assumida pelo suplente Augusto Farias (PTB-AL).(Com informações da Agência Câmara)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.