Deputado Eli Corrêa Filho diz a Kassab que fica no DEM

O deputado federal Eli Corrêa Filho (DEM-SP) comunicou ontem ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que não vai aceitar o convite para se filiar ao Partido Social Democrata (PSD). A nova legenda está sendo criada pelo prefeito e tem como principal núcleo políticos dissidentes do Democratas. Ontem, Corrêa conversou com o presidente do DEM, senador José Agripino Maia (RN), e com o líder do partido na Câmara, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), e foi convencido a não trocar de sigla.

MARCELO DE MORAES, Agência Estado

23 de março de 2011 | 11h13

Com esse movimento de Corrêa, o Democratas garante a permanência de metade de sua bancada paulista, formada por oito deputados federais. Ficarão no partido, além de Corrêa, os deputados Rodrigo Garcia, Jorge Tadeu Mudalen e Alexandre Leite. Acompanharão Kassab no PSD os deputados Guilherme Campos, Junji Abe, Eleuses Paiva e Walter Ihoshi.

Amanhã, a Comissão Executiva Nacional do DEM se reúne em Brasília para substituir oficialmente o comando dos diretórios do partido em São Paulo e na capital paulista. Ambos eram comandados por Kassab, que já pediu desligamento das funções, mas manteve no comando o vice Alfredo Cotait, ligado a ele. O comando nacional do DEM vai trocar essa direção e deve entregá-la a algum dos quatro deputados federais de São Paulo que permaneceram no partido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.