Deputado do Rio nega à Justiça ter cobrado propina

O deputado estadual Jorge Luiz Hauat, o Jorge Babu, negou durante interrogatório nesta quinta-feira, no Rio, ter cobrado propina em 2001 contra o empresário Rômulo Costa, dono da equipe de som Furacão 2000.

PRISCILA TRINDADE, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 19h53

O deputado afirmou à Justiça que não tem nenhum tipo de relacionamento com os funcionários da 1ª Vara da Infância e Juventude suspeitos de envolvimento num esquema de corrupção.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), a cobrança de propina teria partido de Wellington Regadas Moreira, Paulo Roberto Rolim, Luiz Eduardo Soares e Willian Pereira Mendes, todos ex-funcionários da 1ª Vara. Eles foram denunciados pelos crimes de formação de quadrilha e extorsão praticada por servidor público.

Em janeiro deste ano, a Executiva Nacional do PT expulsou Jorge Babu após o Ministério Público ter denunciado o deputado por formação de quadrilha e extorsão em setembro de 2008. Em janeiro deste ano, o Órgão Especial do TJ-RJ aceitou a denúncia do MP contra nove pessoas, entre elas Jorge Babu, acusadas de envolvimento com milícias da zona oeste da capital.

Tudo o que sabemos sobre:
Jorge BabuJustiçadepoimentopropina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.