Deputado do PT é barrado na Câmara e cobra Aécio

Deputados do PT cercaram hoje à tarde o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), para cobrar uma providência contra os agentes de segurança, que impediram a entrada de um parlamentar do partido na Câmara. "Eu fui agredido. Um deputado não pode ser agredido por seguranças da Câmara", protestou o deputado professor Luizinho, vice-líder da bancada do PT.Visivelmente abalado, o deputado estava acompanhado do líder da bancada, Walter Pinheiro (BA), e dos deputados Aloizio Mercadante (SP) e Luci Choinascki (SC). Para se aproximar de Aécio, os deputados tiveram que trocar empurrões com os seguranças, repórteres e cinegrafistas, que cercavam o presidente. Diante da reclamação, Aécio Neves conduziu os parlamentares ao gabinete da Presidência para tratar do assunto com calma.Pouco antes do incidente, Aécio disse que ontem chegou a fazer um apelo ao presidente Fernando Henrique Cardoso para que o governo retirasse a urgência do projeto de lei que estabelece a prevalência dos acordos e convenções coletivas sobre a legislação trabalhista.Como Fernando Henrique decidiu manter a urgência do projeto, Aécio disse que seu papel se resume a conduzir a sessão de hoje de modo a permitir que a discussão e eventual votação do projeto seja feita "com serenidade e tranquilidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.