Deputado do PFL da Bahia assina pela CPI

A oposição conseguiu há pouco a assinatura do terceiro deputado dissidente do PFL a favor da instalação da CPI da Corrupção. Trata-se do deputado Ursicino Queiroz (BA), ligado ao senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Ursicino garante que se trata de uma decisão pessoal, tomada sem solicitação de ACM. "O canibalismo não pode existir nos partidos políticos", afirmou Ursicino, referindo-se à declaração do presidente do partido, senador Jorge Bornhausen (SC), de que ACM é uma voz isolada dentro do PFL. Ursicino disse que, ao tentar isolar ACM, Bornhausen está boicotando as chances de o partido disputar a eleição de 2002 para presidente da República com candidato próprio. "O partido político que não aspira empalmar o poder não tem razão de ser partido", afirmou.Para ele, Bornhausen está desobedecendo à decisão tomada pela Executiva Nacional do partido de respeitar a posição de independência de ACM. Ursicino disse ainda que continua sendo leal ao governo, mas que sua decisão é uma questão de coerência.

Agencia Estado,

27 de março de 2001 | 16h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.