Deputado diz ter sido discriminado por Maia

O deputado Mendonça Prado (DEM-SE) disse nesta quinta ter sido vítima de discriminação por parte do presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), por ser nordestino. Maia chamou Prado de "desqualificado" durante bate-boca no final da sessão desta quarta, quando o plenário analisava o projeto que reduz de 42 para 30 horas semanais a jornada de trabalho de enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem. A ofensa poderá acabar na corregedoria da Casa. O deputado Onyx Lorenzoni anunciou, nesta quinta, que entrará com uma representação contra Maia por falta de decoro, caso o presidente não se desculpe publicamente, até quarta-feira, pela agressão ao deputado.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

28 de junho de 2012 | 19h29

Prado, em discurso no plenário nesta quinta disse que Maia tem de explicar se está usando a pauta de votações da Câmara em benefício próprio. "Ele precisa dizer à sociedade se está usando a presidência da Casa para submeter a votos matérias que são do interesse do povo e do Estado brasileiro ou se ele está submetendo a votos matérias que interessam a ele pessoalmente para emplacar os seus apadrinhados no governo federal e no Banco do Brasil", afirmou. "Isso precisa ser investigado! Marco Maia, me respeite. Respeite o povo sergipano e procure o seu lugar", discursou.

"Talvez porque este parlamentar aqui seja um nordestino e ele, galego dos olhos azuis, possa (cometer) um ato discriminatório e preconceituoso. Esse ato de ontem foi discriminatório contra um deputado do menor Estado do Brasil, mas que tem talvez mais caráter e mais dignidade do que o presidente", disse.

Na sessão de quarta-feira, Prado afirmou que Maia agiu para prejudicar e enganar os enfermeiros, irritando o presidente. "Eu não vou permitir que V.Exa. faça esse discurso, porque V.Exa. é um desqualificado, um Deputado que não representa os interesses da sociedade dentro desta Casa e não tem o direito de fazer esse tipo de acusação", respondeu Maia. "V.Exa. não me procurou, um minuto sequer, para propor e para defender aqui os interesses dos enfermeiros deste País. V.Exa. está fazendo aqui proselitismo, porque o seu partido e V.Exa. nunca tiveram uma atitude desse nível para com os enfermeiros", completou.

Logo depois da sessão, o DEM recolheu cópias de requerimentos nos quais o partido pedia a inclusão do projeto na pauta do plenário, dois deles de Mendonça Prado.

Tudo o que sabemos sobre:
DeputadodiscriminaçãoMarco Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.