André Borges/Agência Câmara
André Borges/Agência Câmara

Deputado diz que não foi à cassação porque está de licença para cuidar do filho autista

Segundo a assessoria do Fernando Francischini (SDD-PR), ele está de licença há dois meses, 'muito tempo antes da marcação desta votação', anunciada em 10 de agosto

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2016 | 11h35

BRASÍLIA - O deputado Fernando Francischini (SDD-PR) afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não compareceu à cassação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) porque está licenciado do exercício do mandato para tratar o filho que é autista.

Segundo a assessoria, o deputado está há dois meses de licença, “muito tempo antes da marcação desta votação”. O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou a data da sessão em 10 de agosto.

Dos 513 deputados, 42 não compareceram à votação na noite desta segunda-feira, 12. A ausência de parlamentares beneficiava Cunha, que precisava de 257 votos para ser cassado. Muitos aliados do peemedebista deixaram de comparecer à Câmara para não se exporem diante da opinião pública.

O placar da votação foi de 450 votos a favor da cassação e 10 contra. Compareceram à sessão 471 deputados.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodrigo Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.