Deputado de partido aliado a Cunha assume vaga em bloco do PT no Conselho de Ética

João Carlos Bacelar (PR-BA) foi para uma das vagas de suplente no colegiado a ser preenchida pelo bloco liderado pelo PT (integrado por PT, PSD, PR, PROS e PCdoB)

Daiene Cardoso e Daniel Carvalho, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2015 | 13h34

Brasília - O deputado João Carlos Bacelar (PR-BA) assumiu nesta terça-feira, 1, uma das duas vagas de suplente do bloco liderado pelo PT no Conselho de Ética. O partido de Bacelar é aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), representado no processo por quebra de decoro parlamentar que será analisada nesta tarde.

Dos 21 cargos de suplente disponíveis no colegiado, ainda resta uma vaga a ser preenchida pelo bloco liderado pelo PT (integrado por PT, PSD, PR, PROS e PCdoB) e outras duas vagas do bloco formado por PSDB, PSB, PPS e PV. Só tem direito a voto o suplente que preencher a vaga do titular, marcando presença primeiro.

Os três petistas que integram o Conselho de Ética decidiram se reunir fora da Câmara para avaliar o voto da bancada na sessão desta tarde. Os deputados Zé Geraldo (PA), Leo de Brito (AC) e Valmir Prascidelli (SP) foram almoçar longe da Câmara para evitar a pressão pré-reunião do Conselho de Ética. Os petistas já receberam recados de aliados de Eduardo Cunha sobre a possibilidade o peemedebista deflagrar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff caso eles votem pela admissibilidade do processo hoje. A intenção é unificar o discurso dos três titulares do PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.