Deputado critica viagem de secretário à França

O deputado estadual Frederico Antunes (PPB) continua batendo forte no secretário da Agricultura do Rio Grande do Sul, José Hermeto Hoffmann, por causa de sua viagem à França para defender o ativista José Bové, em Montpellier, por causa de sua participação na queima de arroz transgênico no Centro de Cooperação Internacional de Pesquisa Agronômica, entidade pública daquele país.Irônico, Antunes, que falou a o Estado por telefone, da praia de Atlântida, onde passa o fim de semana com a família, disse que a viagem de Hoffmann "é um deboche ao contribuinte gaúcho". E acrescentou: "Pegar dinheiro do povo para ir à França beber champanhe e fumar charuto cubano para defender o Bové é uma ofensa a nós todos. Além do mais, o depoimento de um brasileiro em outro país não vai valer de nada, pois ele foi sem ser convocado por ninguém. As suas palavras não terão valor nenhum em território francês".O parlamentar pepebista também não aceita a desculpa do Governo do Estado, de que as despesas com 12,5 diárias pagas a Hoffmann no valor de US$ 200 cada uma, serão ressarcidas pela Confederação Camponesa francesa, entidade a qual Bové está ligado."Se é assim, ele devia ter feito um financiamento no Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul) para custear as suas despesas".O convite para depor como testemunha foi feito pelo próprio Bové, quando esteve em Porto Alegre para participar do Fórum Social Mundial, de 25 a 30 de janeiro. Durante sua permanência no Estado, Bové participou da destruição de uma lavoura experimental de soja transgênica da multinacional Monsanto, no município de Não-Me-Toque, na região do Planalto Central.Ninguém da Secretaria da Agricultura que pudesse dar a sua versão sobre as palavras do deputado Frederico Antunes, foi encontrado ontem pela reportagem do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.