Deputado contesta Temer e diz que cota valerá para o exterior

Presidente da Câmara havia dito que passagens de deputados valeriam apenas para viagem em território nacional

DENISE MADUEÑO E LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

22 de abril de 2009 | 12h25

Ao contrário do que anunciou nesta quarta-feira, 22, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), o terceiro secretário da Câmara, Odair Cunha (PT-MG), disse que o deputado poderá usar sua cota de passagem aérea para viajar ao exterior. "Se ele for a alguma atividade que se justifique, poderá usar (a cota de passagens), mas deverá pedir autorização prévia", afirmou Cunha.

 

Veja Também:

link'Eu arranhei minha imagem propositalmente', diz Gabeira

linkCâmara recua e proibirá parentes de usarem cota de passagens

linkTemer admite que destinou passagens aéreas para parentes

linkCâmara anuncia corte de 20% na cota de passagens

linkEx de Galisteu devolve R$ 21 mil à Câmara por gasto em viagem

linkDeputado paga passagens para artistas com verba da Câmara

linkApós série de escândalos, Câmara quer 'pacote moralizador'

A terceira secretaria é o órgão da Casa responsável por administrar a cota de passagens aéreas. Fora da cota dos deputados, a Câmara já paga viagens em missões oficiais. O terceiro secretário explicou, no entanto, que o parlamentar pode ir a um evento de seu interesse, como um congresso no exterior, sem que isso seja uma missão oficial. Neste caso, segundo Cunha, ele poderá ser autorizado a usar a cota.

Pela manhã, Temer anunciou que o uso da cota de passagens está restrito ao parlamentar em território nacional, não apenas ao seu Estado de origem. O deputado poderá ceder passagens para assessores que o estiverem representando em eventos relacionados ao mandato. O funcionário só poderá viajar, segundo Temer, com autorização prévia da terceira secretaria. Todas as passagens serão divulgadas no portal transparência da Câmara.

Outra decisão tomada por Temer prevê a devolução à Casa dos créditos não utilizados. Atualmente, os deputados acumulam crédito e usam em viagens particulares com a família. O segundo secretário da Câmara, Inocêncio Oliveira (PR-PE), admitiu, por exemplo, que economizava, procurando voos mais baratos durante o ano, para ceder créditos à mulher e às filhas para elas viajarem ao exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
CâmarapassagensOdair Cunha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.