Deputado começa a colher assinaturas para CPI no RS

O deputado estadual Marlon Santos (PFL) começa a recolher nesta quinta-feira as assinaturas para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul com o objetivo de voltar a investigar as relações do governo anterior, de Olívio Dutra (PT), com o jogo do bicho. O ponto de partida será a descoberta, nesta semana, de que a Loteria do Estado do Rio Grande do Sul (Lotergs) contratou em 2002 os serviços de uma empresa ligada ao bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, para operar a loteria de números do Estado."Esses acontecimentos deixam claro que houve conexões com empresas de caráter dúbio e colocam em xeque também aquela licitação", explica Santos. O deputado sabe, no entanto, que sua tarefa será difícil. Santos é o único deputado do PFL e acredita que conta com o apoio dos três deputados do PSDB, dos sete do PDT, de dois do PPS e da parte das bancadas do PP e do PMDB, que, juntas, têm 19 deputados.O requerimento deve ter pelo menos 19 assinaturas, mas a aparente facilidade é falsa. À exceção do PPS, todos os demais partidos que Santos vai sondar estão na base de apoio do governador Germano Rigotto, que não apóia uma CPI no Congresso para apurar as mesmas ramificações em todo o Brasil e não gostaria de ver a Assembléia gaúcha priorizando outro debate que não a reforma previdenciária estadual no primeiro semestre.Em Brasília, o ex-governador e atual ministro das Cidades, Olívio Dutra, distribuiu uma nota nesta quarta-feira considerando "especulações, ilações, insinuações, presunções e informações imprecisas ou falsas, oriundas de interesses contrariados" astentativas de associar o comportamento do governo que comandou a "personagens estranhos àquele governo e até ao território gaúcho àépoca do mandato".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.