Deputado chora ao se defender de acusações de fraude com ambulância

O líder do PL na Câmara, Luciano Castro (RO), chorou no plenário ao discursar sobre a citação de seu nome na lista de supostos envolvidos no esquema de compra superfaturada de ambulâncias, elaborada pela funcionária do Ministério da Saúde, presa em Cuiabá, Maria da Penha Lino.Castro iniciou o discurso afirmando que não estava ali para criticar a Polícia Federal, mas achava estranho o fato de um depoimento ter sido divulgado em 24 horas e ainda dentro de um processo que corre em segredo de Justiça. Chorando, disse que o seu "nome nunca mais vai sair dos jornais". "Esta minha indignação vem do meu coração. Muitos estão sendo injustiçados e alguns ainda serão". Segundo ele, se pudessem, alguns grupos de interesse colocariam os 513 deputados nessa lista. "Estamos sendo violentados. Estamos sendo massacrados. Se fechamos o Congresso, fechamos a imprensa, fechamos a liberdade", disse.Ele disse que já está tomando as providências para interpelar Maria da Penha na Justiça e defendeu a punição dos culpados.

Agencia Estado,

11 de maio de 2006 | 14h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.