Deputado Cabo Júlio, Darci e Luiz Vedoin são processados por improbidade administrativa

A Procuradoria da República em Minas Gerais ajuizou nesta terça-feira uma ação de improbidade administrativa contra o deputado federal Cabo Júlio (PMDB) e os empresários Darci José Vedoin e Luiz Antônio Trevisan Vedoin, donos da Planam, e Ronildo Pereira de Medeiros. Eles são acusados de participação na máfia dos sanguessugas, que superfaturava verba da União na compra de ambulâncias. Conforme o Ministério Público Federal (MPF), essa é a primeira de um total de seis ações contra os parlamentares mineiros acusados de envolvimento no escândalo.Segundo o MPF, durante as investigações, apurou-se que Cabo Júlio teria apresentado um total de 20 emendas ao Orçamento contemplando municípios mineiros, "os quais, após prévio acerto com o parlamentar, comprometiam-se a direcionar as licitações de modo a favorecer as empresas dos demais envolvidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.