Deputado Adão Pretto morre em Porto Alegre

O deputado federal Adão Pretto (PT), porta-voz dos pequenos agricultores e dos sem-terra na Câmara, morreu ontem, em Porto Alegre, aos 63 anos. Ele estava internado no Hospital Moinho dos Ventos desde o dia 15, para tratamento de uma inflamação no pâncreas.Durante as primeiras horas do velório, à tarde, o Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul permaneceu lotado por centenas de pessoas, que formavam fila para se despedir do parlamentar.Políticos também se mobilizaram. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota na qual apontou o deputado como amigo, defensor dos pobres e um dos militantes das causas populares mais ativos que conheceu.O presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart, que viajou para Porto Alegre, classificou o deputado como "um dos grandes heróis na luta pela reforma agrária".Deputados federais e estaduais de diferentes partidos também foram ao velório. A governadora Yeda Crusius (PSDB) decretou luto oficial de três dias no Rio Grande do Sul. O enterro está previsto para as 10 horas de hoje no Cemitério Jardim da Paz, em Porto Alegre.Pretto elegeu-se deputado federal em 1990 e foi reconduzido ao cargo em 1994, 1998, 2002 e 2006. Sua vaga será ocupada pela ex-senadora Emília Fernandes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.