Deputado acusado de ser sanguessuga faz greve de fome

O deputado João Correia (PMDB-AC) iniciou uma greve de forme, no plenário da Câmara, na tarde desta segunda-feira. O deputado, acusado de ter sido beneficiado pelo esquema dos sanguessugas, disse que a greve de forme é para que seja julgado pelo Conselho de Ética da Câmara e, se possível, pelo Plenário. "Estou fazendo isso para ver se consigo ser julgado. Eu quero ser julgado. Eu não tenho competência para conviver com esta suspeita", afirmou. Ele argumentou que foi o primeiro a entregar sua defesa, o primeiro a ser ouvido pelo Conselho de Ética, o primeiro que colocou seus sigilos à disposição, e que abriu mão de testemunhas para que seu processo fosse julgado rapidamente. A família Vedoin, dona da Planam, a empresa envolvida no esquema de super faturamento de ambulâncias, acusou João Correia de ter recebido R$ 10 mil, segundo Darci Vedoin, ou R$ 12 mil , segundo Luiz Antonio Vedoin. O deputado nega ter recebido dinheiro. Correia afirmou que fez emendas para três prefeituras do Acre que estão sob administração do PT, de seus adversários políticos. Ele afirmou que em apenas uma prefeitura a Planam venceu a licitação.

Agencia Estado,

11 Dezembro 2006 | 17h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.