Gabriela Biló
Gabriela Biló

Deputada italiana tenta convencer STF a extraditar Battisti

Renata Bueno, eleita em 2013 para o Parlamento italiano, deseja que o militante cumpra a pena em seu país de origem

ANSA

23 Novembro 2017 | 14h29

BRASÍLIA - A deputada ítalo-brasileira Renata Bueno se reuniu na última terça-feira, 21, com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar convencê-los a extraditar o italiano Cesare Battisti. Em declaração para a agência de notícias italiana ANSA, Renata informou que se reuniu com os ministros Carmen Lúcia, Gilmar Mendes e Dias Toffoli para "levar o apelo da sociedade e dos cidadãos italianos do quanto a Itália quer a extradição de Battisti para que ele cumpra a pena à qual fora condenado". De acordo com a deputada, todos os ministros agiram de maneira diplomática, sem expressar opiniões.

Renata foi eleita em 2013 para o Parlamento italiano pelo movimento União Sul-Americana dos Emigrantes Italianos (USEI). Ela é filha do deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR), político paranaense e atual líder do Grupo Parlamentar Brasil-Itália. 

+++ Battisti detido pela PF na fronteira com a Bolívia com mais de R$ 10 mil em dinheiro

Battisti foi condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos cometidos na década de 1970, quando era militante pelo grupo de extrema-esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC). O italiano foi preso no Brasil em 2007. Apesar do STF autorizar sua extradição, os ministros decidiram que a palavra final caberia ao presidente. Então no cargo, Luiz Inácio Lula da Silva resolveu manter Battisti no Brasil. /ANSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.